ADQUIRA JÁ!
Livro do Colunista Hudson Lebourg
Zacharius Ursinus (1534-1583)


Publicado neste site no dia:
20 de Maio de 2018, Domingo, 13h05

Zacarias Ursino (1534-1583), teólogo reformado, nasceu na cidade silésia de Breslau (hoje na Polônia). Seu pai era um homem de recursos modestos, mas Zacarias teve uma excelente educação preparatória graças às suas conexões e ao apoio de um benfeitor Dr. João Crato, o médico da família.

Nascido Zacharias Baer, como todos os jovens eruditos de sua era, deu a si mesmo um nome latino – Zacharias Ursinus, derivado de ursus, que significa urso em português. Ursino é mais conhecido como o principal autor e intérprete do Catecismo de Heidelberg.

Na sua juventude, Ursino foi grandemente influenciado pelo seu pastor, Miobano, um luterano com tendências calvinistas. Ursino passou quase sete anos em Wittenberg (1550-57) sob a orientação de Filipe Melanchton, ao qual se apegara fortemente. Ali ele estudou lógica, dialética e teologia.

Quando Melanchton foi para a conferência de Worms (1557), levou Ursino consigo. Ao terminar a conferência, Ursino passou dez dias em Heidelberg com o eleitor Oto Henrique. Em 1557-58 ele foi para a Suíça e a França numa viagem de estudos, e visitou todas as figuras conhecidas que pode, inclusive Calvino. Logo após regressar para Wittenberg foi chamado para ensinar em sua cidade natal, mas teve de partir em abril de 1560 durante uma controvérsia a respeito da Ceia do Senhor. Ele então foi para Zurique, onde Pedro Mártir o conduziu a um calvinismo explícito.

"Com 27 anos, Ursino era um estudioso altamente preparado, apreciador dos clássicos e da poesia, e familiarizado com todo o campo da teologia." Ele foi para Heidelberg em setembro de 1561. Com a reação luterana que se seguiu à morte de Frederico III, ele mudou-se para Neustadt, onde passou os últimos cinco anos da sua vida, ensinando na escola fundada por João Casimir.

À semelhança de Calvino, Ursino era um estudioso retraído que tinha a modesta ambição de levar uma vida tranqüila; porém, a sua posição em Heidelberg tornou isto impossível. O conselho afixado à sua porta em Neustadt é bastante revelador da sua personalidade: "Meu amigo, seja você quem for, torne a sua visita breve, vá embora, ou ajude-me no meu trabalho."

Ursino sempre afirmou que pertencia à igreja evangélica. Derk Visser observa que "ele não pode ser categorizado como pertencente a nenhuma escola ou movimento que não seja a igreja evangélica." Ele esteve sempre ansioso por encontrar fórmulas conciliatórias e lutou sinceramente pela paz teológica.

Ursino escreveu ou editou algumas das obras mais fundamentais da Igreja Reformada Alemã. A exposição mais sistemática da sua teologia pode ser encontrada no seu comentário sobre o Catecismo de Heidelberg. Peter A. Lillback argumenta que outra importante contribuição feita por ele à teologia reformada foi "a primeira apresentação claramente articulada do pacto das obras, que Ursino denominou como o 'pacto da criação' ou o 'pacto da natureza'."

Zacarias Ursino passou seus últimos anos de vida em Neusctadt, morrendo em 1583.


Tradução Espanhol:
El Catecismo de Heidelberg PDF
http://www.felire.com/desca…/catecismo%20de%20heidelberg.pdf


Tradução Português:
http://www.monergismo.com/…/cateci…/catecismo_heidelberg.htm


Retirado de uma postagem da página Os Reformados:
Link: https://www.facebook.com/OsReformadosOR/posts/2077699809182428



Links Relacionados
[Biografias] João Calvino
João Calvino (Noyon, 10 de Julho de 1509 — Genebra, 27 de Maio de 1564) foi um teólogo cristão francês. Calvino teve uma influência muito grande durante a Reforma Protestante, uma influência que continua até hoje. Portanto, a forma de Protestantismo que ele ensinou e viveu é conhecido por alguns pelo nome Calvinismo, mesmo se o próprio Calvino teria repudiado contundentemente este apelido. Esta variante do Protestantismo viria a ser bem sucedida em países como a Suíça (país de origem), Países Baixos, África do Sul (entre os africânderes), Inglaterra, Escócia e Estados Unidos da América.


[Estudos & Reflexões] O Catecismo de Heidelberg: Sua História e Influência
Uma das principais características da Reforma Protestante do século XVI foi a produção de um grande número de declarações doutrinárias na forma de confissões de fé e catecismos. Essas declarações resultaram tanto de necessidades teológicas quanto pastorais, à medida que os novos grupos definiam a sua identidade em um complexo ambiente religioso, cultural, social e político. O historiador Mark Noll observa que esse fenômeno é típico da Reforma, uma vez que o termo "confissão", em seu sentido mais comum, designa as declarações formais de fé cristã escritas especialmente por protestantes, desde o início do seu movimento.[1]

COMENTE!
Nome:

E-Mail:

Comentário:





& PROTESTANTISMO &
Desde 03 de Agosto de 2008