ADQUIRA JÁ!
Livro do Colunista Hudson Lebourg
Augustus Toplady (1740-1778)


Publicado neste site no dia:
02 de Abril de 2018, Segunda Feira, 19h12

Augustus Montague Toplady (04 de novembro de 1740 - 11 de agosto de 1748) foi um clérigo anglicano, compositor de hinos e um calvinista adversário de John Wesley. Sua obra mais conhecida é o hino "Rock of Ages". Há também mais três hinos de sua autoria que são cantadas até hoje - "A Debtor to Mercy Alone", "Deathless Principle" e "Object of My First Desire", embora tais hinos não sejam tão populares como o "Rock of Ages".


Antecedentes e Início de Vida (1740-1755)
Augustus Toplady nasceu em Farnham, Surrey, na Inglaterra em novembro de 1740. Seu pai, Richard Toplady, provavelmente era de Enniscorthy, Condado de Wexford na Irlanda, e tornou-se um oficial comissionado na Royal Marines em 1739; nas vésperas de sua morte, ele tinha alcançado o posto de major. No mês de maio de 1741, pouco tempo depois do nascimento de Augustus, Richard participou do Cerco de Cartagena das Índias (1741) - a mais importante batalha da Guerra da Orelha de Jenkins (1739-1748). Foi neste curso que Richard acabou falecendo devido a uma provável febre amarela, deixando a mãe sozinha com o menino Augustus.

A mãe de Toplady, Catherine, era filha de Richard Bate, um encarregado de Chilham (vila) desde 1711 até a sua morte, em 1736. Catherine e seu filho se mudaram de Farnham para Westminster, e Augustus passou a frequentar a Westminster School de 1750 a 1755.


Trinity College, Dublin (1755-1760)
Em 1755, Catherine e Augustus se mudaram para Irlanda, e Augustus foi matriculado no Trinity College, em Dublin.

Pouco tempo depois, em agosto de 1755, Augustus Toplady, já com 15 anos de idade, assistiu um sermão de James Morris, um seguidor de Jonh Wesley, realizado em um celeiro em Codymain na Wexford (embora, em seu leito de morte, Augustus Toplady tinha negado que aquele pregador tivesse alguma ligação com Wesley, com quem ele havia desenvolvido um amargo relacionamento). Ele lembrava deste sermão como o tempo em que recebeu seu chamado eficaz de Deus.

Tendo experimentado uma conversão religiosa sob a pregação de um metodista, Toplady, inicialmente seguiu Wesley no apoio ao Arminianismo. No entanto, em 1758, já com 18 anos de idade, Toplady leu um sermão do século XVII de Thomas Manton sobre João 17, e a Confissão da Religião Cristã de Jerome Zanchius (1562). Tais obras convenceram Toplady que o Calvinismo era o correto, e não o Arminianismo.

No ano de 1759, Toplady pubicou seu primeiro livro, Poems on Sacred Subjects.

Em 1760, após a sua graduação no Trinity College, Toplady e sua mãe voltaram para Westminster. Lá, Toplady conheceu vários ministros calvinistas proeminentes, incluindo George Whitefield, John Gill e William Romane. Foi John Gill que, em 1760, exortou Toplady a publicar sua tradução do trabalho de Zanchius sobre a predestinação. Como resposta, Toplady disse que ainda "não estava suficientemente liberto do medo do homem".


Ministério da Igreja (1762-1778)
Em 1762, Edward Willes, bispo da Bath and Wells, ordenou Toplady como diácono anglicano, nomeando-o curador de Blagdon, em Mendip Hills of Somerset. Foi no ano seguinte, em 1763, que Toplady compôs seu famoso hino "Rock of Ages". Uma tradição local - descontada pela maioria dos historiadores - sustenta que ele escreveu o hino depois de procurar abrigo sob uma grande rocha em Burrington Combe, numa magnífica ravina perto de Blagdon, durante uma tempestade.

Após ser ordenado sacerdote em 1764, Toplady retornou para Londres e serviu como curador de Farleigh Hungerford por pouco mais de um ano (1764-1765) e, também, para ficar mais próximo dos amigos que ali viviam.

Em maio de 1766, Toplady assumiu duas aldeias em Devon, a Harpford e Venn Ottery. No entanto, em 1768, Toplady descobriu que sua nomeação foi algo comprado; vendo isso como uma forma ilícita (simonia), Toplady decidiu trocar o cargo pelo posto de vigário de Broadhembury, um outro vilarejo de Devon. Ele serviria como vigário de Broadhembury até a sua morte, apesar de ter recebido licença para ausentar-se do local no ano de 1775 em diante.

Toplady nunca se casou, mas teve relacionamento com duas mulheres. A primeira foi Selina Hastings, condessa de Huntingdon, fundadora da Countess of Huntingdon`s Connexion, uma série de congregações calvinistas metodistas. Toplady conheceu Huntigdn em 1763, e pregou em suas capelas várias vezes em 1775, durante sua ausência de Broadhembury. A segunda mulher foi Catharine Macaulay, a quem ele conheceu em 1773, e com quem ele passou mais tempo durante os anos de 1773 a 1777.


Animais e a Natureza
Toplady foi um produtivo ensaísta e erúdito que escrevia sobre diversos assuntos. Ele tinha um grande interesse no mundo natural e nos animais. Ele compôs uma pequena obra intitulada: "Esboço da História Natural, com alguns detalhes sobre aves, meteoros, sagacidade das bestas e o sistema solar", onde ele anotou suas observações sobre as maravilhas da natureza, incluindo o comportamento das aves e ilustrações de ações por parte de vários animais. Toplady também considerava o problema do mal se referindo ao sofrimento dos animais na obra "Um Breve Ensaio Sobre o Pecado Original", e em um debate público fez um discurso sobre "Que crueldade desnecessária à criação bruta não é criminosa?". Neste discurso, Toplady repudiou a maldade contra os animais e também afirmou sua crença de que as Escrituras apontam para a ressurreição dos animais. Esta posição de Toplady sobre a maldade contra os animais e a ressureição foi repetida por seus contemporâneos Joseph Butler, Richard Dean, Humphry Primatt e John Wesley. Ao longo do século, dezenove outros escritores cristãos como Joseph Hamilton, George Hawkins Pember, George NH Peters e Joseph Seiss seguiram a mesma posição. James Macauley desenvolveu os argumentos com mais detalhes no contexto dos debates sobre bem-estar animal, direitos dos animais e vivissecção.


Polemista Calvinista (1769-1778)
A primeira resssalva de Toplady no mundo da controvérsia religiosa ocorreu em 1769, quando ele escreveu uma obra em resposta a uma situação ocorrida na Universidade de Oxford. Seis estudantes foram expulsos de St Edmund Hall por causa de suas opiniões calvinistas, nos quais Thomas Nowell criticou como inconsistentes com as opiniões da Igreja da Inglaterra. Em seguida, Toplady criticou a posição de Nowell em sua obra "A Igreja da Inglaterra Vindicada da Carga do Arminianismo", onde argumentava que o Calvinismo, não o Arminianismo, era a posição historicamente mantida pela Igreja da Inglaterra.

Foi em 1769 que Toplady publicou sua tradução da "Confissão da Religião Cristã de Zanchius" (1562), uma das obras que conveceu Toplady a se tornar um calvinista em 1758. Esta tradução foi intitulada como "A Doutrina da Predestinação Declarada e Afirmada". Esta obra atraiu uma resposta veemente de John Wesley e, a partir daí, houve um prolongado debate de panfletos entre Toplady e Wesley sobre a Igreja da Inglaterra, se era uma igreja historicamente calvinista ou arminiana. O debate teve seu auge em 1774, quando Toplady publicou sua "Prova Histórica do Calvinismo Doutrinário da Igreja da Inglaterra", de 700 páginas, envolvendo um estudo maciço traçando a doutrina da predestinação desde o período da Igreja Primitiva até William Laud. A seção sobre o Sínodo de Dort continha uma nota de rodapé identificando cinco proposições básicas da fé calvinista, discutivelmente a primeira aparição impressa do resumo do calvinismo conhecido como os "cinco pontos do calvinismo".

A relação entre Toplady e Wesley que inicialmente tinha sido cordial, envolvendo troca de cartas quando Toplady era arminiano, tornou-se cada vez mais amarga e atingiu seu ponto mais baixo com o "Caso Zanchy". Wesley criticou a publicação da tradução de Toplady do trabalho de Zanchius sobre a predestinação em 1769 publicando, por sua vez, um resumo daquela obra intitulada "A Doutrina da Predestinação Absoluta Declarada e Afirmada", acrescentando seu próprio comentário que "A soma de tudo isto é: Um em vinte (suposição) da humanidade é eleito, dezenove em vinte são reprovados. Os eleitos serão salvos, façam o que quiserem; os réprobos serão condenados, façam o que puderem. O leitor acredita nisso ou será condenado. Declaro com minhas próprias mãos". Toplady considerou o resumo e os comentários como uma distorção dos pontos de vista dele e de Zanchius, e ficou particularmente enfurecido com a atribuição da autoria desses acréscimos, como se ele aprovasse o conteúdo.

Toplady publicou uma resposta na forma de "Uma carta ao Rev. John Wesley; Relativa à Sua Pretensiosa Rescruzação de Zanchius sobre a Predestinação". Wesley nunca aceitou publicamente qualquer irregularidade de sua parte e, aparentemente, negou sua autoria dos comentários contidos em seu resumo quando, em seu trabalho de 1771, "The Consequenses Proved" que respondeu à carta de Toplady, ele atribuiu seus acréscimos a Toplady. Posteriormente, Wesley evitou uma correspondência direta com Toplady afirmando em uma carta de 24 de junho de 1770: "eu não combato com varredores de chaminés. Ele é um escritor sujo demais para eu me intrometer. Eu deveria apenas sujar meus dedos. Eu também li o seu cabeçalho e não me incomodei mais. Deixo-o ao senhor Sellon. Ele não pode estar em mãos melhores."


Últimos Anos
Toplady passou seus últimos três anos principamente em Londres, pregando regularmente em uma capela calvinista francesa em Orange Street (fora de Haymarket), mais espetacularmente em 1778, quando ele pareceu rebater as acusações feitas pelos seguidores de John Wesley de que havia renunciado ao Calvinismo em seu leito de morte. Toplady morreu de tuberculose em 11 de agosto de 1778, e foi enterrado no Tabernáculo de Whitefield, em Tottenham Court Road.


Hinos
- "A Debtor To Mercy Alone" n. 7 in The Believers Hymn Book;
- Compared with Christ, in all beside n. 760 in The Church Hymn book 1872 (1772);
- Deathless spirit, now arise n. 1381 in The Church Hymn book 1872 (1776);
- Holy Ghost, dispel our sadness n. 80 in The Church Hymn book 1872 (1776). Modernising of John Christian Jacobi's translation (1725) of Paul Gerhardts hymn from 1653;
- How happy are the souls above n. 1434 in The Church Hymn book 1872 (1776) (? A. M. Topladys text);
- Inspirer and hearer of prayer n. 30 in The Church Hymn book 1872 (1774);
- O thou, that hear'st the prayer of faith n. 642 in The Church Hymn book 1872 (1776);
- Praise the Lord, who reigns above n. 160 in The Church Hymn book 1872 (1759);
- Rock of ages, cleft for me n. 697 in The Church Hymn book 1872 (1776);
- Surely Christ thy griefs hath borne n. 443 in The Church Hymn book 1872 (1759);
- What, though my frail eye-lids refuse n. 29 in The Church Hymn book 1872 (1774);
- When langour and disease invade n. 1032 in The Church Hymn book 1872 (1778);
- Your harps, ye trembling saints n. 861 in The Church Hymn book 1872 (1772);


Fonte: Wikipedia (inglês)
Tradução: Marcell de Oliveira



Links Relacionados
[Biografias] George Whitefield
George Whitefield, (16 de dezembro de 1714 - 30 de setembro de 1770) foi um pastor anglicano itinerante, que ajudou a espalhar o Grande Despertar na Grã-Bretanha e, principalmente, nas colônias britânicas norte-americanas. Seu ministério teve enorme impacto sobre a ideologia americana. Conhecido como o "príncipe dos pregadores ao ar livre", foi o evangelista mais conhecido do século XVIII. Pregou durante 35 anos na Inglaterra e nos Estados Unidos, quebrou as tradições estabelecidas a respeito da pregação e abriu o caminho para a evangelização de massa. Enquanto jovem sua sede de Deus o tornou consciente de que o Senhor tinha um plano para sua vida. Para preparar-se, jejuava e orava regularmente, e muitas vezes ia ao culto duas vezes por dia. Na Universidade de Oxford (Inglaterra) cooperou com os irmãos John e Charles Wesley, participando com eles no "Clube Santo".


[Biografias] John Gill
John Gill (Kettering, Northamptonshire, 23 de novembro de 1697 - 14 Outubro 1771) foi o autor de uma análise da Bíblia, An Exposition of the Old and New Testament. Seu pai era diácono da igreja batista de Kettering. Desde cedo ele foi colocado na escola, mas sofreu com o preconceito dos clérigos que dirigiam o local. Ele tentou entrar para um seminário, mas foi rejeitado por ser muito jovem. Ele continuou os estudos por conta própria, e, aos dezenove anos de idade, já havia lido todos os principais clássicos em grego e latim, e havia estudado lógica, retórica, filosofia natural e filosofia moral, além de ter conhecimento da língua hebraica.


[Biografias] João Calvino
João Calvino (Noyon, 10 de Julho de 1509 — Genebra, 27 de Maio de 1564) foi um teólogo cristão francês. Calvino teve uma influência muito grande durante a Reforma Protestante, uma influência que continua até hoje. Portanto, a forma de Protestantismo que ele ensinou e viveu é conhecido por alguns pelo nome Calvinismo, mesmo se o próprio Calvino teria repudiado contundentemente este apelido. Esta variante do Protestantismo viria a ser bem sucedida em países como a Suíça (país de origem), Países Baixos, África do Sul (entre os africânderes), Inglaterra, Escócia e Estados Unidos da América.


[Biografias] John Wesley
O céu, à meia noite, era iluminado pelo reflexo sombrio das chamas que devoravam vorazmente a casa do pastor Samuel Wesley. Na rua, ouviam-se os gritos: "Fogo! Fogo!". Contudo, a família do pastor continuava a dormir tranqüilamente, até que os escombros ardentes caíram sobre a cama de uma filha, Hetty. A menina acordou sobressaltada e correu para o quarto do pai. Sem poder salvar coisa alguma das chamas, a família foi obrigada a sair casa a fora, vestindo apenas as roupas de dormir, numa temperatura gélida.


[Estudos & Reflexões] Livre Arbítrio - Uma Visão Arminiana
Com base na teologia arminiana clássica, eu defino livre-arbítrio como a "capacidade de fazer escolhas contrárias à maior influência recebida". Esse conceito é provado por Romanos 7, em que Paulo fala: "Aquilo que quero, isso não faço". Ou seja, o homem é capaz de fazer escolhas contrárias (escolher o pecado) à maior influência recebida (graça de Deus). Esse conceito é chamado de "livre-arbítrio libertário" e se divide em dois tipos:


[Estudos & Reflexões] A Teologia de John Wesley
"[O ser humano] não é meramente matéria, um punhado de terra, uma porção de barro, sem qualquer sentido ou entendimento, mas um espírito tal como o seu Criador, um ser dotado não só de sentimento e conhecimento, mas também de um livre arbítrio que se manifesta em vários afetos. E a coroar todo o resto, está o fato de que ele foi dotado de liberdade, da capacidade de dirigir os seus afetos e ações, a capacidade de determinar por si próprio se escolherá o bem ou o mal." (Sermão, "A Queda do Homem", Works, 2:400-401).


[Estudos & Reflexões] Nota Pública Sobre Debates Teológicos Entre Calvinistas e Arminianos
Diante da recorrência de discussões e ataques pessoais realizados no âmbito eclesiástico, na internet e nas redes sociais, especialmente entre calvinistas e arminianos para a defesa de posições teológicas, NÓS, abaixo subscritos, vimos a público emitir a presente nota:

Reconhecemos a importância e a historicidade do debate teológico dentro da tradição cristã como meio de defesa e salvaguarda da verdade e, consequentemente, da ortodoxia bíblica.

Apoiamos a produção e a reflexão teológica realizada no ambiente da internet, em virtude de seu caráter democrático e do livre curso de ideias, como corolário da Reforma Protestante.


[Estudos & Reflexões] Eleição (Chares Spurgeon)
Ainda que na Palavra sagrada não houvesse outro texto, além deste, penso que todos nós estaríamos na obrigação de reconhecer a veracidade daquela grande e gloriosa doutrina que declara que, desde o princípio, Deus escolheu a Sua própria família. Entretanto, parece haver na mente humana um arraigado preconceito contra essa doutrina. Pois embora quase todas as demais doutrinas sejam recebidas pelos crentes professos, algumas delas acolhidas com cautela e outros com deleite, contudo, no caso dessa doutrina, com frequência verifica-se a desconsideração e repúdio. Em muitos dos nossos púlpitos, muitos considerariam um grave erro, uma traição mesmo, se alguém pregasse um sermão a respeito da eleição, porquanto eles não poderiam extrair dali um discurso "prático", conforme asseveram. Mas é exatamente quanto a esse particular que penso que eles se desviaram da verdade.

COMENTE!
Nome:

E-Mail:

Comentário:





& PROTESTANTISMO &
Desde 03 de Agosto de 2008