Outros Links
Arcebispo de Vitória Critica Ideologia de Gênero: "Destrói a Família"
"Crianças virão a saber de seu sexo quando estiverem mais amadurecidas. Absurdo!", disse Dom Luiz Mancilha Vilela

O arcebispo de Vitória, Dom Luiz Mancilha Vilela, criticou a chamada Ideologia de Gênero e disse que a inclusão do tema nos Planos Municipais, Estaduais e Nacional de Educação "destrói a família".

O uso do termo, em vez de sexo feminino ou masculino, é interpretado pela Igreja como uma ideologia para educar meninos e meninas de forma neutra.

Dom Luiz se pronunciou através de uma carta, divulgada pela Arquidiocese na última sexta-feira (22).

O arcebispo chamou a ideologia de 'absurdo' e disse que ela quer acabar com o conceito de família. "Ela proíbe os professores e educadores de tratarem as crianças das creches e escola infantis como menina ou menino, João ou Maria". O religioso disse, ainda, que a Lei é totalitária e recomendou aos presbíteros, diáconos, educadores e políticos católicos que ficasse atentos à Ideologia.

O arcebispo segue a linha do posicionamento de bispos do Brasil inteiro, que também se manifestam contra a presença da Ideologia nas escolas. Na última quinta-feira (18), a Conferência Nacional dos Bispos (CNBB) contestou o acréscimo do termo nos Planos de Educação, afirmando que ele "não é caminho para combater a discriminação das pessoas por causa de sua orientação sexual".


Plano Estadual de Educação inclui termos como orientação sexual
Na última semana, foi aprovada na Assembleia Legislativa o Plano Estadual de Educação, com a inclusão de termos como "gênero" e "orientação sexual", criticados pela Igreja Católica.

O Plano aponta metas para a educação no Estado a serem cumpridas nos próximos dez anos. Alguns trechos do documento geraram polêmica por defenderem estratégias curriculares para combater preconceitos contra as diferenças de gênero e orientação sexual.

As páginas do plano ainda explicam que as metas atendem às exigências "do momento histórico e das demandas do futuro, atendendo ainda demandas como educação em direitos humanos, respeito às diferenças (classe social, orientação sexual, gênero e etnia racial)". O documento está disponível no site da Assembleia Legislativa e aguarda sanção do governador do Estado.


Leia, na íntegra, a Carta de Dom Luiz:

"Ideologia de Gênero
Sinto-me no dever de alertar as famílias católicas, Educadores Católicos e Autoridades que professam a fé cristã católica para um grande e perigoso problema que vem tomando um lugar em nossa sociedade e que é de responsabilidade da família, do Educador e das Autoridades constituídas a serviço do Bem Comum.

Não se trata de um problema originado em nossa terra, mas vem de países desenvolvidos, que se infiltrou na ONU, e que já prejudicam nossos irmãos que professam a mesma fé. Trata-se da "Ideologia de Gênero". Que é isso? O que se entende por "Ideologia de Gênero"?

Como muitas famílias não sabem bem o que é, não conseguem avaliar e se defender diante do perigo que este "veneno ideológico" pode causar no meio familiar, escolar e na boa convivência entre os cidadãos de bem.

"Ideologia de Gênero" refere-se a "orientação sexual" que governos ateus e materialistas querem impor, através de lei, nos Planos Nacional, Estadual e Municipal de Educação, de uma maneira totalitária e perversa, que as Escolas sejam obrigadas, por lei, a impedir que as crianças aprendam que os seres humanos se dividem em dois gêneros: masculino e feminino. Querem impedir que a criança vá percebendo desde os mais tenros anos a diferença física natural que existe e assim é educada pelos pais com carinho como menina ou menino. Esta "ideologia de gênero" proíbe os professores e educadores, a tratarem as crianças das Creches e Escola infantis como menina ou menino, João ou Maria. São apenas crianças. Elas virão a saber de seu sexo quando estiverem mais amadurecidas. Absurdo!

Esta ideologia desconstrói o que é nato e procura construir uma outra cultura assexuada na mente da pessoa, desmentindo o que a criança vê em si mesma e no outro.

Ora, o ser humano é homem ou mulher! Negar essa realidade é uma mentira, uma inadequação entre a realidade que está à frente da pessoa e a sua mente que vê, percebe e sente!

Essa mentalidade totalitária se vier a tornar-se lei terá consequências gravíssimas, a saber:

01. Os pais que não concordarem com essa lei poderão ser criminalizados. É uma agressão à família! Esta Ideologia de Gênero destrói a família! Como a mãezinha poderá vestir sua filhinha com vestes lindas femininas ou na cor rosa se é proibido ressaltar a identidade sexual dela? Como a mãezinha poderá vestir o filhinho homem com vestes que o identifiquem como um homenzinho?

02. Os educadores cristãos estarão impedidos e poderão ser criminalizados ao expressarem suas convicções cristãs em salas de aula nas escolas.

03. Esta Ideologia não é nova; tem suas raízes em sistemas filosóficos sociais de séculos passados. Sorrateiramente querem impor ao nosso país, através de leis de cunho totalitário, a destruição de um verdadeiro espírito democrático e cristão.

Portanto, recomendo aos presbíteros, diáconos, educadores católicos, aos políticos católicos e demais pessoas que prezam a liberdade social, intelectual e religiosa que estejam atentos!

Cada um no exercício de suas responsabilidades na construção da sociedade, deve responder perante Deus que nos criou à sua Imagem e Semelhança para impedir que leis de cunho totalitário envenenem a nossa convivência de cidadãos que amam a paz e a ordem entre os povos e em nosso país.

Escolas Católicas, estejam atentas e sejam fiéis ao Evangelho! Pais cristãos católicos não se deixem levar por esta "Ideologia de Gênero"! Olhem o tipo de imposição ideológica que está acontecendo além-mar! Se formos omissos esta catástrofe poderá cair sobre nossas famílias cristãs em pouco tempo.

Deus abençoe a todos.
"


Fonte: A Gazeta



O que você tem a dizer sobre o artigo?
Nome:

E-Mail:

Comentário:






& PROTESTANTISMO &
Desde 03 de Agosto de 2008