O Dom Ministerial de Mestre
A PROVISÃO DE CRISTO PARA A SUA IGREJA HOJE
Jesus concedeu Dons Ministeriais à Sua Igreja: "E ELE MESMO CONCEDEU uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e MESTRES (Efésios 4.11)".

Ele concedeu Dons ao subir às alturas, e levou cativo o cativeiro (seio de Abraão) dos santos da Velha Aliança que esperavam a consumação do plano de redenção de Deus (Efésios 4.8).


Qual o alvo de Jesus ao conceder Dons Ministeriais aos homens?
A - Para o Aperfeiçoamento dos santos. Para ajustar ou preparar plenamente os crentes para a volta de Jesus.

B - Para o Bom Desempenho do seu serviço. Para o trabalho ou função no Ministério (cargos na Igreja).

C - Para a Edificação do Corpo de Cristo (na Fé).


Até Quando Ele concedeu os Dons do Ministério?
Até que todos os crentes CHEGUEM Á UNIDADE DA FÉ e cheguem ao PLENO CONHECIMENTO DE JESUS, á PERFEITA VARONILIDADE e a MEDIDA DA ESTATURA DA PLENITUDE DE CRISTO (Efésios 4.12-13).


OS CRENTES PERECEM POR FALTA DE CONHECIMENTO
O crente não perece por causa do diabo. As Escrituras afirma que o povo de Deus perece porque lhes falta conhecimento (Oséias 4.6). O conhecimento vem pelo ensino, enquanto que a Fé vem pela pregação da Palavra de Cristo (Romanos 10.17). Eles precisam ser ensinados até que conheçam a Verdade, e só a Verdade os libertará (João 8.32).

Deus é a Verdade. Jesus é a Verdade. O Espírito Santo é a Verdade. A Palavra de Deus é a Verdade. O poder do Espírito Santo é verdade. A doutrina de homens é mentira e engano.

O Espírito Santo afirma expressamente que, nos últimos dias, alguns apostatarão da Fé, ou seja, trocarão a Sã Doutrina pelo ensino de espíritos enganadores (falsos mestres) e a ensinos de demônios (1Timóteo 4.1).

Quando eu ainda era bebê espiritual, ouvia coisas nas Igrejas como: Todos nós somos pecadores, e você vai morrer doente, e Deus vai te colocar no leito, ou na cova, ou te provar com uma doença, ou te matar para não se desviar e perder a salvação.

Todos os crentes já estão aperfeiçoados hoje? Não. O Corpo de Cristo ainda necessita de edificação? Sim. Por quê? Porque os cinco Dons Ministeriais não estão em operação ainda hoje em todas as Igrejas.

Repare que o mestre é o único que é citado três vezes nas passagens sobre Dons Ministeriais: Deus estabeleceu na Igreja mestres (1Coríntios 12.28), no Corpo de Cristo (Igreja) temos o mestre: "O que ENSINA esmere-se em fazê-lo (Romanos 12.7)", e Jesus concedeu mestres à Igreja (Efésios 4.11).

Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres (Atos 13.1). Esse Dom Ministerial é muito importante para a Igreja hoje, como o era antes, por causa da expansão da doutrina de homens. Por isso o Espírito Santo segue capacitando, sobrenaturalmente, homens e mulheres, para Ensinar a Verdade aos filhos de Deus.

Como qualquer outro Dom Ministerial, a pessoa chamada por Deus para ensinar deve apresentar-se a Deus aprovado, cheio do Espírito Santo e Fé, boa consciência, conhecedor das Escrituras e como um trabalhador que não tem do que se envergonhar (1Timóteo 3. 2).


DEUS ENSINAVA OS PATRIARCAS
Deus ensinava os homens da Velha Aliança: "Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ENSINAREI o que hás de falar (Êxodo 4.12)".


O MESTRE JESUS CRISTO
Jesus ensinava mais do que pregava: "Percorria Jesus TODA a Galiléia, ENSINANDO nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo (Mateus 4. 23, Marcos, Lucas e João)".


O MESTRE ESPÍRITO SANTO
Nosso Consolador é Mestre: "Porque o Espírito Santo VOS ENSINARÁ, naquela mesma hora, as coisas que deveis dizer (Mateus 12.12)". "Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em Meu nome, esse VOS ENSINARÁ todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito (João 14.26)".


AS ESCRITURAS ENSINAM
A Bíblia é útil para o ensino: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ENSINO, para a repreensão, para a correção, para a EDUCAÇÃO na justiça a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. (2Timóteo 3.16-17)".

Ao mestre cabe esmerar-se em ensinar a Verdade, preceito sobre preceito, e instruir os crentes nos princípios elementares da doutrina de Cristo que os conduzem ao que é perfeito (Hebreus 6.1-2).

O mestre deve manejar bem a Palavra de Cristo e evitar falatórios inúteis. Deve repelir questões insensatas, que geram debates. Ele não vive a contender e sim a instruir, até os opositores da sã doutrina de Cristo. É brando, paciente e ensina com mansidão (2Timóteo 2. 14-26).

Cabe ao mestre doutrinar a Igreja com expectativa de que Deus conceda aos aprendizes o arrependimento pelo conhecimento da Verdade, e também que eles retornem à sensatez, livrando-os dos laços do diabo que os seduz com a mentira.

Percebe-se que o mestre da Palavra de Deus tem uma função bem abrangente e um lugar bem definido e de extrema importância no Novo Testamento.

Se uma pessoa for chamada por Deus e habilitada pelo Espírito Santo, pode permanecer no ofício de apóstolo e mestre, ou pastor e mestre, profeta e mestre, evangelista e mestre, e assim por diante. Ela pode ocupar mais de um ofício, se Deus a chamou.

Os profetas e mestres da Igreja de Antioquia eram Barnabé, Simeão por sobrenome Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes o tetrarca, e Saulo que posteriormente passou a chamar-se Paulo (Atos 13.11).

Servindo eles ao Senhor, o Espírito Santo separou Paulo e Barnabé para a Sua obra. Após a imposição de mãos, o Espírito Santo os enviou, sendo que Barnabé recebeu os Dons Ministeriais de apóstolo, profeta e mestre (Atos 13.11 e 11.26). E Paulo recebeu os de apóstolo, profeta, pregador e mestre (Atos 9.20-28, 11.26, 13.11, 14.14, Gálatas 1.12, Efésios 3.3 e 1Timóteo 2.7).

O Dom Ministerial de mestre ou o Dom de Ensino é um Dom de Deus. São homens e mulheres que são chamados por Deus e estabelecidos e equipados pelo Espírito Santo, para o ofício de ensinar, pela capacidade sobrenatural do próprio Espírito Santo.

Não é conhecimento natural da letra. E não se trata de professores de Escola Dominical. Quem conhece a Bíblia pode ensinar o que sabe. Qualquer cristão pode dizer o que Deus diz na Bíblia e deve compartilhar com os irmãos, desde que não crie sua doutrina.

Todavia isso não é o Dom de ensino de que se está falando nestas passagens, pois esse Ministério de Ensino requer um chamado Divino. Também não é habilidade natural de professores e mestres de colégios e faculdades. É uma aptidão do Espírito Santo.

A inclinação e a capacidade natural da pessoa que lê e estuda muito a Bíblia pode fornecer um pano de fundo para alavancar neste Dom Ministerial.

Não é o caso de Jesus, pois aos doze anos de idade Ele se achava no meio dos doutores, ouvindo-os e perguntando-lhes, e todos os que O ouviam muito se admiravam de Sua inteligência e de Suas respostas (Lucas 2.46-47).

Embora ainda fosse um menino, Jesus tinha a Sabedoria de Deus, pelo simples fato de que Jesus não era morto espiritualmente (separado de Deus) como todos os demais seres humanos da face da terra, naquela época (Velha Aliança).

Apesar disso, Jesus precisou ser batizado no Espírito Santo para ensinar, pregar, curar e estabelecer Sua Igreja. No momento em que o Espírito de Deus desceu sobre Jesus, Ele recebeu todos os Dons Ministeriais e os nove Dons do Espírito Santo.

Uma pessoa sabe quando é chamada para ensinar porque recebe um aprovisionamento Divino. É uma capacitação do próprio Espírito Santo. O público que ouve o mestre de ensino sempre irá crescer no conhecimento da Verdade, pois a Unção que está sobre ele despedaça todo o jugo de religiosidade e doutrina de homens.

Existem pessoas que foram professores antes de Nascer de Novo. Quando foram salvas e cheias do Espírito Santo, aproveitaram-nas para ensinar a Palavra de Deus às classes bíblicas nas Igrejas. Isso não é errado, se ensinar a Bíblia e não criar sua doutrina.

Mas também não é o Dom Ministerial de Ensino em demonstração. O Dom de Ensino do Espírito Santo não é vazio da Unção. O mestre ensina a Verdade e notifica rios de água viva aos ouvintes.

Paulo descreveu o Ministério de Ensino como aquele que rega: "Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho. Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós (1Coríntios 3.6-96)".

Paulo ensinou, Apolo regou. Muitas Igrejas de Deus estão crescendo devido ao Dom de ensino da Palavra de Deus (irrigação). Os crentes estão permanecendo na Graça de Deus.

Quando a instrução da Palavra de Deus é por meio do Dom Ministerial de Ensino, a Unção refrigerará e reavivará as pessoas, da mesma forma que uma planta fica fresca e refrigerada quando sempre é regada. O ensino da Verdade renova o espírito humano e refrigera a alma, porque é feito no poder do Espírito Santo.

A Graça de Deus é muito mal ensinada. Entenda que a obra da Graça foi uma obra de substituição. Graça foi à posição Dele que Ele me deu. Jesus se fez o que eu era, e eu me tornei quem Jesus É hoje à direita do Pai no céu.

O que eu era? Eu era pecador, enfermo, doente, sem vida e pobre. Jesus se fez tudo isso no meu lugar, e ainda se fez maldito para que eu fosse bendito do Senhor.

O que me tornei em Cristo? Santo, justo, remido, Saúde Divina, vida abundante, rico e livre da maldição da lei. Jesus me justificou, então eu sou justo e estou diante do Pai sem culpa ou condenação.

Apolo era mestre de ensino, eloquente, poderoso nas Escrituras, instruído no caminho do Senhor, fervoroso de espírito, ousado ao falar na sinagoga, e instruía com precisão a respeito de Jesus. Em Éfeso ele auxiliou a muitos que já haviam crido, provando que o Cristo é Jesus (Atos 18.27).

Os crentes Hebreus não tinham progredido. Paulo disse à Igreja deles algumas coisas que gostaria de ensinar-lhes, mas eles não poderiam suportar (Hebreu 5.11-14). Paulo ainda os amava, mas eles eram nenês espirituais e não podiam comer alimentos sólidos.

Exortando os Hebreus ao progresso da Fé, Paulo, o mestre de Ensino, disse que não lançaria um novo fundamento sobre os princípios elementares da doutrina de Cristo, pois elas são basilares e não poderiam ser comprometidas (Hebreu 6.1-2).

O mestre deve sempre estar aberto e pronto para receber revelações da Verdade da Palavra de Deus e ensina-las, mesmo que não aceitem. Por ser um Dom do Ministério, a revelação do Espírito Santo baliza a função de mestre. O verdadeiro mestre não irá ensinar erro doutrinário que poderá dividir o Corpo de Cristo.

Lendo atentamente os Evangelhos, notamos que Jesus ensinava mais do que pregava e curava. O povo dizia, admirados, que Ele ensinava como quem tem autoridade, ou seja, ensinava pelo poder do Espírito Santo sobre Ele (Mateus 7.28-29, Marcos 1.21-22 e Lucas 4.31-32). Somos imitadores de Cristo.


Paz.


Fonte: Edmar Campos




Qual a sua opinião sobre o Dom Ministerial de Mestre?
Nome:

E-Mail:

Comentário:





& PROTESTANTISMO &
Desde 03 de Agosto de 2008