As Cartas Paulinas (Parte 13) - Filemom
Filemom
Ao sinal do contramestre, a bola gigante é lançada e com uma força de dinamite e uma colisão retumbante atinge a parede, estalando tijolos como ramos e espalhando pedaços de argamassa. Repetidamente, o poderoso pêndulo entra em ação, e logo a barreira é reduzida a escombros. Após isso, ele é retirado para que a construção possa começar.

A vida tem muitas paredes e cercas que dividem, separam e criam compartimentos. Não feitas de madeira ou pedra, elas são obstruções pessoais, bloqueando as pessoas umas em relação às outras, em relação a Deus. Mas Cristo veio como o grande destruidor de barreiras, derrubando a divisória de pecado que nos separava de Deus e desfazendo as barreiras que nos afastavam uns dos outros. Sua morte e ressurreição abriram caminho para a vida eterna, a fim de conduzir todo aquele que crê para a família de Deus (Ef 2.14-18).

As culturas romana, grega e judaica eram recheadas de barreiras, nas quais a sociedade determinava classes às pessoas e esperava que estas ficassem em seus lugares - homens e mulheres, escravos e livres, ricos e pobres, judeus e gentios, gregos e bárbaros, religiosos e pagãos. Mas a mensagem de Cristo veio para desfazer as barreiras, e Paulo pôde declarar: "Onde não há grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos" (Cl 3.11).

A verdade que transforma vidas forma o cenário para a carta a Filemom. Uma das três cartas pessoais na Bíblia, a carta a Filemom é um pedido pessoal de Paulo a favor de um escravo. Onésimo "pertencia" a Filemom, um membro da igreja colossense e amigo de Paulo. Este escravo havia roubado seu dono e fugido. Foi para Roma, onde conheceu Paulo, e lá respondeu às Boas Novas e converteu-se à fé em Cristo (1.10). Então Paulo escreve a Filemom e lhe reapresenta Onésimo, explicando que o está enviando de volta, não apenas como um escravo mas como um irmão (1.11,12,16). Com habilidade, Paulo pede que Filemom aceite e perdoe seu irmão (1.10,14,15,20). As barreiras do passado e as novas barreiras que foram erguidas pela deserção e pelo roubo de Onésimo não deveriam mais dividí-los - pois eles agora fazem parte do corpo de Cristo.

Este pequeno livro é uma obra-prima de graça e tato e uma profunda demonstração do poder de Cristo e da verdadeira fraternidade cristã em ação. Que barreiras existem em sua casa, seu bairro ou sua igreja? O que separa você de seus companheiros crentes? Raça? Posição social? Riqueza? Educação? Personalidade? Como a Filemom, Deus lhe chama para buscar a unidade, derrubando estas paredes e abraçando seus irmãos e irmãs em Cristo.


Informações Essenciais
Propósito - Convencer Filemom a perdoar Onésimo, seu escravo fugitivo, e aceitá-lo como um irmão na fé.

Autor - Paulo.

Destinatários - Filemom, o qual era provavelmente um membro rico da igreja de Colossos, e a todos os crentes.

Data - Aproximadamente 60 d.C., durante a primeira prisão de Paulo em Roma, quase na mesma época em que as cartas aos Efésios e aos Colossenses foram escritas.

Panorama - A escravidão era muito comum no Império Romano e, evidentemente, alguns cristãos tinham escravos. Paulo não condena a instituição da escravidão em seus escritos, porém faz uma declaração radical ao chamar este escravo de irmão de Filemom em Cristo.

Versículo Chave - "Porque bem pode ser que ele se tenha separado de ti por algum tempo, para que o retivesses para sempre, não já como servo; antes, mais do que servo, como irmão amado, particularmente de mim e quanto mais de ti, assim na carne como no Senhor" (1.15,16).

Pessoas Chave - Paulo, Filemom e Onésimo.

Lugares Chave - Colossos e Roma.

Características Particulares - Esta é uma carta particular e pessoal para um amigo.


Fonte: Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal Almeida Revista e Corrigida, CPAD.




O que você tem a dizer sobre a carta que o Apóstolo Paulo escreveu para Filemom?
Nome:

E-Mail:

Comentário:





& PROTESTANTISMO &
Desde 03 de Agosto de 2008