Respondendo aos Deboches (Parte 2) - Jesus Era Necromante?

Clique na Imagem para Ampliar

Prezados internautas
Graça e Paz do Senhor Jesus Cristo
Bendito seja Deus, o Senhor de nossas vidas
A Razão do nosso viver

A imagem acima foi tirada do site Sobrenatural.org mostrando um argumento com o objetivo de ridicularizar a Bíblia Sagrada e o Cristianismo em sí. O argumento é sobre a aparição de Moisés e Elias com o Senhor Jesus Cristo.

"(...) Alguns sacerdotes afirmam que não foi uma aparição de mortos (fantasmas) trata-se de um sonho, uma visão.... mas como explicar? Pedro, Tiago e João tiveram a mesma visão? Para os evangélicos a explicação é pior ainda... Os evangélicos acreditam que Jesus não tinha nada o que fazer, então foi até o monte e modelou (transfigurou) milagrosamente a imagem de dois mortos e como manipulador de bonecos de fantoches, Jesus interagiu com eles e até fez-se de ventríloquo. Afinal PEDRO, TIAGO e JOÃO OUVIRAM OS FANTACHOS FALAREM COM JESUS... Que coisa estranha.. não seria mais fácil acreditarmos que Jesus o todo poderoso, falou realmente com dois profetas já falecido! Afinal é o que está escrito claramente na bíblia. Até Pedro e os outros que testemunharam, acreditaram que realmente Jesus estava falando com os profetas mortos. Porque não acreditarmos também? Pense bem: Se Jesus ressuscitou os mortos, porque Jesus não pode falar com os mortos? Nota: Esta é uma das passagens prediletas dos espíritas."

O autor desse argumento deve ser um grande caluniador. Em vez de defender a sua posição e fazer críticas usando fontes concretas, não. Só vejo mentiras e mais mentiras. Principalmente a parte de "Os evangélicos acreditam que Jesus não tinha nada o que fazer...." (é para rir?).

Moisés e Elias foram os dois maiores profetas do Antigo Testamento. Segundo os comentários da Bíblia de Estudos e Aplicação Pessoal, Moisés representa a Lei, a Antiga Aliança. Foi ele quem escreveu o Pentateuco e predisse a vinda de um grande profeta (Dt 18.15-19). Elias representa os profetas que vaticinaram a vinda do Messias (Mt 4.5,6). A presença de Moisés e Elias junto a Jesus confirmam a missão messiânica de Jesus, que constituiu em cumprir a lei de Deus e as palavras dos profetas. Assim como a voz de Deus, ecoando da nuvem sobre o monte Sinai, conferiu autoridade à sua lei (Êx 19.9), na transfiguração, validou a autoridade das palavras de Jesus.

Para o espiritismo, esse episódio é o principal registro que comprova a legitimidade da necromancia. Os teólogos da ICP (Instituto Cristão de Pesquisas) analisaram alguns pontos-chaves nessa questão:

1) Assim como alguns outros milagres extraordinários de Deus, esse também foi um evento único, sem paralelo, tanto no passado quanto em ocasiões posteriores; algo bem diferente dos casos espíritas, que se repetem a toda hora e lugar;

2) Não houve invocação de mortos. Em contrapartida, as sessões espíritas estão em franca desobediência aos textos bíblicos que condenam a necromancia (Dt 18.11,12);

3) O fenômeno descrito no texto foi espontâneo. Os discípulos não sabiam. Havia muita luz no ambiente e Jesus se transfigurou diante dos discipulos. Nas casas espíritas, o ambiente é montado e preparado por médiuns. Exige-se regularidade das pessoas, do horário, baixa luminosidade, entre outras coisas, para que a comunicabilidade dos espíritos seja favorecida. São os espíritos que entram em contato com as pessoas e não ao contrário. "O telefone só toca de lá para cá", disse, certa vez, Chico Xavier, querendo afirmar que a decisão para que haja a comunicação parte dos espíritos.

4) O assunto tratado no monte da transfiguração era sobre a morte de Jesus, que estava para ocorrer brevemente: "E falavam da sua morte" (Lc 9.31). Nas reuniões espíritas, os espíritos que se manifestam jamais falam a respeito da morte de Jesus como o único meio de redenção. Ao contrário, negam esta doutrina bíblica.

5) O diálogo ocorreu entre Jesus, Elias e Moisés, em corpos glorificados. Os discipulos, meros mortais encarnados, não participaram da conversa. Se a comunicação com os mortos fosse possível, por que os discípulos ali presentes não aproveitaram a oportunidade e conversaram com os profetas, figuras ilustres de quem leram na Torá? Pelo contrário, Pedro, num gesto insano, pois estava sonolento e assombrado, só se dirigiu a Jesus depois do encerramento daquele episódio extraordinário (Lc 9.33).

6) Por último, é curioso que Pedro, personagem da passagem em estudo, não tivesse entendido o fato como sendo um procedimento de invocação aos mortos. Vejamos o que escreveu: "Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade. Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido. E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo..." (2Pe 1.16-18).

Diante disso, concluímos que o episódio bíblico em referência, longe de ensinar a comunicação com os mortos, corrobora com a doutrina bíblica sobre a divindade do Senhor Jesus, por meio da qual o Pai, mais uma vez, testemunha a respeito do Filho, permitindo, com isso, que a glória que Jesus tinha no passado, antes de sua encarnação como Verbo (Jo 1.14; 17.5), fosse revelada. Jesus é o resplendor da glória de Deus entre os homens (Hb 1.3). O próprio Pedro, em 2a Pedro 1.16-18, não faz nenhuma referência a Moisés e Elias, antes, enfatiza a glória e a majestade de Cristo.


Agradeço pela sua atenção querido leitor.

Seja bendito o Nome do Senhor desde agora e para sempre, amém.
Marcell de Oliveira
Webmaster Protestante Online




Links Relacionados
DEFESA DA FÉ CRISTÃ - Respondendo aos Deboches (Parte 3): Deus Tem Nariz?
A imagem acima foi tirada do facebook e que está se espalhando pela internet. É uma pergunta tola que, segundo os incrédulos, é um paradoxo irrefutável e que deixa os "crentes calados". A imagem mostra o seguinte: "DEUS TEM NARIZ? Se sim, ele não é imortal pq tem de respirar. Se sim, porém não usa, ele não é perfeito pq tem um órgão inútil. Se não, então ele não é a nossa imagem e semelhança. Cheque mate! ;)"


DEFESA DA FÉ CRISTÃ - Respondendo aos Deboches
1) Absurdo: Vai um bolinho de Cocô aí?
O Deus bíblico, descontente com o povo (como sempre), resolve mostrar isso de um modo, digamos, muito esquisito. Primeiro, ele exige que Ezequiel fique deitado por 390 dias sobre o seu lado esquerdo e 40 dias sobre o lado direito. E tendo que fazer isso amarrado!

COMENTE!
Nome:

E-Mail:

Comentário:





& PROTESTANTISMO &
Desde 03 de Agosto de 2008