É a Bíblia Insuficiente em Termos de Fé?
Caro leitor, muitos grupos heréticos surgiram por causa da crença de que a Bíblia não é a completa revelação de Deus. A característica básica desses grupos é juntar a Bíblia a sua própria literatura, que geralmente passa a ter valor igual e até superior à própria Palavra de Deus, como é o caso das obras de Ellen White, de Russel e de Joseph Smith.

Por que os reformadores do século dezesseis, saídos de dentro do catolicismo romano, afirmaram os princípios de somente a fé, somente a graça, somente as Escrituras? Porque perceberam o quanto o romanismo se havia afastado da Bíblia e assimilado muitas doutrinas pagãs.

A partir do momento em que se admite a Bíblia como insuficiente em questões de fé e prática, admite-se também a falta de autoridade dela. Esta é a outra fonte de heresias.

No caso do catolicismo romano, a autoridade oscilou das Escrituras para a igreja, da igreja para o concílio, e deste para o papa, que foi considerado infalível em 1870. Mas este tipo de erro ocorre também a nível de pequenos grupos, como foi o caso de Jim Jones, que levou ao suicídio 913 de seus seguidores, em 1978, e de David Koresh, que teve fim parecido com o suicídio de 80 seguidores. Em ambos os casos, a autoridade final era o líder.

Modernamente, algumas comunidades cristãs estão admitindo novas revelações supostamente divinas. Um membro de uma dessas igrejas, ao saber que eu fazia parte de uma comissão tradutora da Bíblia, me perguntou se haveria nessa nova tradução muitas novas revelações! Para ele, a revelação contida na Bíblia já está ultrapassada.

O gnosticismo (do grego, gnose, que significa conhecimento, ciência), é outro exemplo de juntar algo mais à Bíblia, que neste caso é a filosofia. O apóstolo Paulo preocupou-se com a presença de gnósticos na Igreja de Colossos (Cl 1.9-23), e o apóstolo João referiu-se a eles em sua Primeira Carta – "E todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem, e presentemente já está no mundo" (1 Jo 4.3).

Dizendo-se possuidores de um profundo conhecimento espiritual, os gnósticos reduziram o Cristianismo a um sistema filosófico ao basearem suas pretensões numa interpretação perversa de 1 Coríntio 2.6-8 – "Entretanto, expomos sabedoria entre os experimentados; não, porém, a sabedoria deste século, nem a dos poderosos desta época, que se reduzem a nada; mas falamos a sabedoria de Deus, em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória; sabedoria essa que nenhum dos poderosos deste século conheceu; porque, se a tivessem conhecido, jamais teriam crucificado o Senhor da Glória".

Os gnósticos opunham-se à simplicidade da fé cristã. Consideravam-se pensadores profundos e tentavam explicar, mediante as suas filosofias, os mistérios da criação e o problema do mal. Para eles havia três tipos de pessoas – os instruídos, ou espirituais, que eram eles mesmos; os cristãos comuns, em quem se equilibram matéria e espírito, e, finalmente, os pagãos, ou materialistas, nos quais o espírito é subjugado pela matéria.


Fonte: 201 Respostas, Para o seu Enriquecimento Espiritual e Cultural. Abraão de Almeida. CPAD.




Links Relacionados
OUTRAS OBRAS - A Origem da Bíblia (Philip Wesley Comfort, CPAD)
A BÍBLIA. Não há outra obra literária sobre a qual se tenham escrito tantos livros - então, por que mais um? Embora haja muitos livros que ajudam os leitores a compreenderem o conteúdo da Bíblia, poucos explicam suas origens. Este volume fornece uma visão geral de como a Bíblia foi inspirada, canonizada, lida como literatura sacra, copiada em antigos manuscritos hebraicos e gregos e traduzida para os idiomas do mundo inteiro.

* Arquivo em PDF contendo 430 páginas. Aproximadamente 8Mb.


ARTIGOS INTERESSANTES - A Bíblia é o Documento Mais Historicamente Correto de Todos os Tempos
Chad Hovind, pastor da mega igreja Horizon Community, de 5.000 membros, em Cincinnati, Ohio, quer ajudar os cristãos a entender melhor por que a Bíblia é o documento "mais historicamente correto de todos os tempos". Segundo Hovind, a visita do conhecido pregador Josh McDowell à sua igreja ajudou muitas pessoas a "abrirem os olhos" para alguns fatos fascinantes. O autor de "Mais que um carpinteiro" usou em suas palestras um rolo com os cinco primeiros livros da Bíblia (Torá) com cerca de 500 anos de idade. Ele permitiu que os presentes o tocassem e examinassem. Depois, explicou que aquele era um dos poucos manuscritos completos da Torá do mundo que não está em algum museu.


ARTIGOS INTERESSANTES - Bíblia Estimula Consciência Social
Um estudo promovido pela Universidade Baylor, no Texas, Estados Unidos, e coordenada pelo pesquisador Aaron Franzen, divulgou em setembro que a leitura frequente da Bíblia Sagrada desenvolve a consciência social das pessoas, resultando na preocupação com a pobreza e no tratamento mais humano dos criminosos, e ainda, segundo as informações da pesquisa, a leitura da Bíblia também está ligada a melhores atitudes em relação à Ciência.


ARTIGOS INTERESSANTES - Quem Ora e Lê a Bíblia Diariamente e Frequenta Cultos é Mais Maduro
Você já deve ter ouvido falar que os cristãos que oram e lêem a Bíblia diariamente são os que mais demonstram maturidade cristã e crescimento espiritual, e também que os crentes que oram mais e são mais assíduos à igreja e são os mais envolvidos em atividades cristãs durante a semana. Pois bem, essas verdades bíblicas e da experiência particular dos cristãos em suas congregações podem ser aferidas e atestadas por um meticuloso estudo realizado neste ano com milhares de evangélicos nos Estados Unidos - o maior país evangélico do mundo (o segundo, estima-se, é a China, com milhões em suas igrejas clandestinas e subterrâneas, e o terceiro é o Brasil).


ESTUDOS - A Validade Permanente da Teologia Reformada
No capítulo introdutório deste livro, referimo-nos ao debate entre os historiadores sobre a questão de a Reforma ter sido primordialmente medieval ou moderna em seu impuslo e perspectiva básicos. Muitas vezes, aqueles que defendem a segunda hipótese - que a Reforma assinalou o despertar de uma nova era - fazem-no com uma sensação de júbilo por ter sido libertados das algemas da superstição e do dogmatismo, os quais pensa-se que caracterizaram a chamada "Idade das Trevas". Adolf von Harnack, grande historiador da igreja, acreditava que a história total do dogma cristão havia culminado e sido transcendida na teologia de Lutero: Lutero foi o fim do dogma, da mesma forma que Cristo foi o término da lei! Entretanto, qualquer tentativa de avaliar a importância da teologia da Reforma para a igreja de hoje deve reconhecer a absoluta impossibilidade de tal visão. Contra a ostentação de Erasmo de que ele não se deleitava com asserções, Lutero respondia que as asserções, que ele definiu como uma constante devoção, afirmação, confissão, sustentação e perseverança, pertenciam à própria essência do cristianismo. "Devem-se desfrutar as asserções, ou então não ser um cristão." Apesar de todas as suas críticas das doutrinas oficiais do catolicismo medieval, os reformadores viam-se numa ligação báscia com os dogmas fundamentais da igreja primitiva.


ESTUDOS - Conversas à Mesa com Lutero (Parte 1): Palavra de Deus
I
Que a Bíblia é a palavra de Deus e o seu Livro, eu o provo desta forma: Todas as coisas que existiram e existem no mundo e a forma sob a qual existem encontram-se descritas no primeiro livro de Moisés sobre a criação; exatamente como Deus criou e deu forma à terra, e assim a terra permanece até hoje. Potentados infinitos se iraram contra esse livro e tentaram destruí-lo e exterminá-lo – o rei Alexandre Magno, os príncipes do Egito e da Babilônia, os monarcas da Pérsia, da Grécia e de Roma, os imperadores Júlio e Augusto – porém eles não prevaleceram; estão todos liquidados e extintos, enquanto que o Livro permanece e permanecerá para sempre, perfeito e intacto, como foi dito primeiro. Quem o assim auxiliou – quem o assim protegeu contra tais forças poderosas? Com certeza ninguém, a não ser Deus mesmo que é o senhor de todas as coisas. E não se trata de um milagre pequeno Deus tem preservado e protegido esse Livro; pois o diabo e o mundo são-lhe inimigos furiosos. Acredito que o maligno tenha destruído muito bons livros da igreja, da mesma forma que outrora matou e destruiu muitas pessoas piedosas, cuja memória agora está esquecida, porém a Bíblia Deus de bom grado deixou subsistir. Da mesma forma, o batismo, o sacramento do altar, o verdadeiro corpo e sangue de Cristo e o ofício da pregação permaneceram até nós, a despeito de uma infinidade de tiranos e de perseguidores heréticos. Deus, pelo seu poder único, conservou tais coisas; vamos, então, sem medo de impedimento batizar, administrar o sacramento e pregar. Homero, Virgílio e outros escritores nobres, finos e profícuos legaram-nos livros de longa antiguidade, mas estes representam zero em relação à Bíblia.


CINCO SOLAS - Sola Scriptura e os Pais da Igreja
A Reforma do século dezesseis foi responsável por restaurar à Igreja o princípio de Sola Scriptura, um princípio que havia operado dentro da Igreja Cristã a partir do início da era pós-apostólica. Primeiro, os apóstolos de Jesus Cristo ensinaram oralmente; entretanto, com o findar da era apostólica, toda revelação especial que Deus tencionou preservar ao homem foi reunida por escrito, nas Escrituras. Sola Scriptura é, pois, o ensino, baseado na própria Escritura, de que há somente uma revelação especial de Deus que o homem possui hoje - a.s, A Bíblia. Logo, as Escrituras devem ser materialmente suficientes e ser, por sua própria natureza (i.e., por serem inspiradas por Deus), a autoridade final para a Igreja. Isto também implica dizer que não há porção da revelação que tenha sido preservada na forma de tradição oral, independente da Palavra escrita. Não possuímos qualquer ensino de um Apóstolo atualmente - fora das Escrituras. Somente as Escrituras, então, registram para nós o ensino apostólico e a revelação final de Deus.


CINCO SOLAS - 2a Timóteo 3.16 e a Sola Scriptura
Questão: Onde na Bíblia a Sola Scriptura é ensinada? 2 Timóteo 3:15-17 é uma referência ao Antigo Testamento e não lida com quais livros são inspirados e como nós sabemos quais livros são inspirados. Como um ex-protestante, eu lutei comigo mesmo com esta questão e francamente ninguém me deu uma resposta satisfatória.


CINCO SOLAS - A Escritura, a Graça, a Fé, Cristo e a Glória
"A Reforma foi uma chamada ao cristianismo autêntico, uma tentativa de escapar da corrupção medieval da fé por meio de renovação e reforma. Seus ensinos, que giravam em torno da repetição quíntupla da palavra sola ("Somente"), eram uma mensagem radical para aquela época (e deveria ser para a nossa), porque exigiam um compromisso com um ponto de vista completamente teocêntrico da fé e da vida." (John D. Hannah) [1]


DEFESA DA FÉ CRISTÃ - Como o Protestantismo Pode Ser um Retorno às Origens da Fé?
Prezados leitores,
Graça e Paz do Senhor e Salvador Jesus Cristo
Um dos nossos internautas nos mandou um artigo interessante a respeito da relação entre o Protestantismo e a Igreja Primitiva retirada do site católico Veritatis. O artigo contém várias perguntas com o objetivo de mostrar que o Protestantismo não é um retorno à Igreja Primitiva. Estaremos respondendo cada uma dessas perguntas de acordo com as Sagradas Escrituras.


DEFESA DA FÉ CRISTÃ - Analisando os Comentários Católicos (Parte 2)
4) Protestantes são Bibliólatras?
5) Só a Igreja Católica salva?

COMENTE!
Nome:

E-Mail:

Comentário:





& PROTESTANTISMO &
Desde 03 de Agosto de 2008